Lugar de Pensar

Se você é um ser que somente consegue ler 140 caracteres... fuja daqui rapidamente.
Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome. Clarice Linspector
“Não somos seres humanos vivendo uma experiência espiritual, somos seres espirituais vivendo uma experiência humana.” Teilhard de Chardin
A solidão não existe! Tenho um mundo inteiro dentro de mim.
Seja bem-vindo.

16.11.11

Graffiti

Street Art: Subverter o "Portuguesismo" com ± Maismenos ±
 
Diana Guerra


"Em três décadas, o graffiti globalizou-se, evoluiu e cresceu nas mais variadas expressões, continuando a criar, mais do que nunca, inúmeras referências na nossa cultura visual e artística". É esta a opinião do autor do projecto ± maismenos ±, um nome da street art que hoje o Obvious lhe dá a conhecer.

Já falámos da street art no Brasil , no Reino Unido e até na França. Também em Portugal existem "writers" que assaltam muros e prédios inesperadamente com imagens e textos provocadores: ± maismenos ±, Adres, Pantónio, Kuska, Mar e Tosco são nomes que começam a ganhar notoriedade. Hoje vamos dar destaque ao primeiro destes nomes.

± maismenos ± é um projecto de intervenção crítica de um designer nascido em 1981. Depois de ter concluido o curso tecnológico de Artes Gráficas, na Escola Secundária Soares dos Reis (Porto), ingressou no curso de Design na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Aí, no seu quinto ano, surgiu-lhe um desafio: desenvolver um projecto de criação dum símbolo que nada representasse e que se vendesse a si próprio através do anonimato. A resposta do estudante foi ± maismenos ±, um conceito simples que junta dois opostos e alude à confrontação. Com ele, o artista questiona a actual situação política, social e económica, ao mesmo tempo que demonstra o papel interventivo que o artista deve ter na sociedade.

Ao longo dos anos, o projecto cresceu e hoje pode ser visto não apenas no Porto, mas em outras cidades portuguesas, como Lisboa. Em 2004, iniciou uma colaboração com o espaço cultural portuense Maus Hábitos, onde é hoje responsável pelo Design Gráfico. Aí, começou a relacionar-se com pessoas ligadas às artes, encontrando um espaço para trabalhar como freelancer.

Quanto aos graffiti, os seus "streetments" aparecem-lhe como uma inspiração, mas muitas vezes demora algum tempo a encontrar as palavras certas que subvertam o "portuguesismo" que se nota nas suas intervenções. É o caso de "O povo vencido jamais será unido", "Grândola Vila Corrupta, Terra da Desigualdade" ou "Pague Leve Leve Mente". Com as suas frases provocadoras, explora novas formas, deixando de lado as letras gordas e desenhadas dos graffiti a que estamos habituados.

Elaborou o graffiti inaugural da Praça da Cidadania de Matosinhos (2002) e colaborou com o município de Castanheira de Pêra e com a Unicer (2003). Mais recentemente, participou na 4ª Edição do Festival Future Places (2011) e esteve presente na manifestação de 12 de Março de 2011 com uma bandeira de Portugal com o símbolo ±.

Quanto à sua vida profissional, faz projectos na área do design, ilustração, webdesign, vídeo, animação e pintura. Realizou vários videoclips, como "You Should Never Leave Me Before I Die", de Slimmy, "Sala 101", dos Dealema, e "Bairro", de Ex-peão. É activista da WESC e agenciado pela who.pt.



Nenhum comentário: